Visitantes

Contador de visitas

Seguidores


O COMEÇO DA TEMPESTADE sábado, outubro 24, 2009

  Nada é demasiadamente concreto,até o momento que as coisas mudam radicalmente,mesmo quando não se espera.
  Há momentos determinantes na vida que nos levam a reflectir e ter uma maior diferenciação dos acontecimentos,dos valores,das pessoas que nos cercam e o que de fato está ligado à nossa vida e ao propósito da nossa existência.
  A todo instante a vida nos lança desafios,escolhas,caminhos e sempre temos que sacrificar algo em prol de algo.Por mais cautela que se tenha o inevitável surge e o que fazer perante uma situação emergente?O que fazer quando um forte vento nos arrasta à beira do precipício sem corda ou pára-quedas?
  Cessando um pouco a filosofia,eis-me aqui na realidade.Um acordar de um dia aparentemente normal,dia 15 de Outubro de 2009,sem podermos prever Deus providencia para que dos males o menor aconteça.Meu filho foi à escola,um beijo gostoso e o semblante dele alegre indo na carrinha.Vesti-me e decidi ir à aula de código,por cuidado de Deus decidi sair antes do horário de lá,sendo assim meu amado me buscou e fizemos o almoço juntos em casa,me sentia absolutamente perfeita fisicamente e minutos antes dele voltar ao trabalho o inesperado aconteceu,em pé não senti minha perna direita e instantaneamente uma sensação de tremor dominou meu corpo,como se eu estivesse em pleno terremoto sozinha e em seguida apaguei,amparada pelos braços do meu esposo fui ao chão em convulsão e aproximadamente 15 minutos de inconsciência o socorro médico chegou,quando voltei à lucidez fui me recuperando rapidamente,mas ainda assustada e confusa.Então fui conduzida até ao Hospital aonde fui analisada e submetida a um exame designado TAC no cérebro aonde foi identificado uma lesão não muito bem definida devido as limitações do próprio exame,mesmo assim fui dirigida à internação para averiguação cautelosa do caso.
   A espera só começou a partir de então e as agulhadas,drogas,extrações de sangue para análises e uma enorme interrogação nos pensamentos,mas o momento mais precioso esperado passou a ser da realização de uma ressonância magnética e que  para minha agonia mental só aconteceu no dia 21 de Outubro,quase uma semana após  minha internação.Não consigo esquecer os vastos minutos dentro daquela máquina branca,cilíndrica,com ar espacial...inerte,olhos abertos,o observar no silêncio do meu coração,não precisei fechar meus olhos para que um filme da minha vida se projetasse em minha retina...momentos,pessoas,faces, tristezas,alegrias e como uma morfina em minha alma,senti uma presença maior ali,Deus com certeza,me amparando com seu Santo Espírito,saí dali anestesiada,apenas tendo em conta a sensação.Depois a espera pelo resultado,Doutor Pedro sempre tentando me tranquilizar,mas no fundo eu já sabia que algo existia além,a compaixão nos olhos dele o denunciava.
   Vasta noite de horas perdidas,olhos vermelhos entorpecidos pelos remédios,um ansiedade cruel pelo tal resultado,uma manhã perdida sem nada concreto informado.Se não bastasse o jejum alimentar pelo segundo dia seguido esse jejum de informações,de soluções.Já se passavam as 16 pm,meu sangue começava a ferver,inquietude,a cama parecia quente demais,não contive,accionei o alarme e solicitei a presença do médico.A notícia da transferência para o Hospital Santo Antônio em Porto foi então a novidade sob o argumento da avaliação do meu caso por uma equipe de neurocirurgia.Contactamos meu esposo por telefone e ele rapidamente providenciou os próximos passos,em menos de uma hora já estávamos a caminho amparados com muito carinho e positivismo pelo mesmo socorrista que outrora me buscara em minha casa quando a doença se manifestou.Vale ressaltar que a ansiedade perante os fatos não é maior do que o reconhecimento de que as coisas estão tomando rumos caminhando para o melhor,todo o amparo que estou tendo,carinho,cuidado,de todas as partes só tem contribuído para meu positivismo evoluir.Aos poucos ideias,concepções de várias coisas referentes à vida vão tomando um molde diferente,ainda é cedo para conclusões,mas minha maior certeza agora é do AMOR e PODER de Deus,o qual sou infinitamente grata,pois mais do que nunca sei que Deus sem nós continua sendo Deus,mas nós sem Deus não somos nada.
   

4 comentários:

Ana Paula disse...

Amiga, Deus está com vc e nada te faltará!
estou aqui sempre que precisar!

Cilla Adriana disse...

Que lindo post, amiga. Além desse teu dom para escrever, és uma pessoa tão admirável... maravilhosa, já cansei de dizer isso, né?! Pois é... E vai dar tudo certo MESMO, essa certeza NINGUÉM me tira! Estou com você e não abro, hehehe. Beijoconas, te amo MUITO!

Lillyca Breyer disse...

Ana Paula,
Muito obrigada amiga pelo carinho e força!Estou mto feliz apesar dos pesares.Estou com muita fé em Deus e positiva!
bjss

Lillyca Breyer disse...

Cilla,
Olha muleca,vou te proibir de comentar aqui porque sempre me emociono(brincadeira,pára não),tu és uma cagona que eu amo muitooooo.
Obrigada por tudooooooooo do fundo do meu coração.
Lillyca véia de guerra não é mole não,depois tu não me aturas mais,vais ver!eehehe
Beijosssssssss

Enviar um comentário