Visitantes

Contador de visitas

Seguidores


AS HORAS QUE ANTECEDEM O PRIMEIRO GRANDE PASSO! quarta-feira, outubro 28, 2009

   Realmente superar nossos limites emocionais, os controles nos nervos, sensações, diante de tantas surpresas, aonde as vezes têm-se sentimento de sentenças anunciadas. Eis-me aqui mais uma vez, anestesiada por mais um choque da realidade dos fatos , 28 de Outubro, praticamente treze dias nesta cama estranha, passando o tempo como posso, lutando a cada instante contra qualquer sentimento interior que me desanime a perseverar, orando constantemente no silêncio do meu coração, embora a angústia desses dias tão imprecisos, tortuosos me aflija por breves instantes, um acalento em minha alma vem toda vez, como uma voz me pedindo calma e confiança. Está sendo tão difícil traduzir isso neste exato momento, mas preciso escrever, quem sabe assim eu mesma entenda.
   Minha noite foi longa, e o sono difícil retomar quando algo o interrompia, me pus a pé as 8 da manhã para mais uma insosa rotina hospitalar… banho rápido, o leite quente a aquecer meu estômago, pão, manteiga, queijo e mais uma entrevista para estudantes de medicina, assim o tempo fluiu mais rápido. Ainda pela manhã recebi as primeiras explicações sobre o procedimento da biopsia cerebral através da enfermeira chefe que estará no bloco cirúrgico, as palavras ecoavam em minha mente, e eu tentando assimilá-los o máximo possível enquanto novamente a sensação de inverno em minhas veias me tomasse. Aceitar a ideia de que quatro pequenos parafusos fixarão meu crânio enquanto através de um pequeno corte introduzirão uma agulha para extração de material do tumor é definitivamente amargo.
  O almoço desceu-me insípido ao paladar,ainda desci até ao café do hospital para comprar um sumo, vendo pessoas, mas meu pensamento fixo em toda a proporção que isso tem tomado desde caí sem consciência em casa, o despertar para uma espécie de sonho-pesadelo, aonde fechar e abrir os olhos é definitivamente igual. Minha face visivelmente preocupada ainda conseguia esboçar alguns sorrisos, tentando disfarçar, talvez. As grandes interrogações disso tudo que torturam a mente, o amanhã que habitualmente dizemos que à Deus pertence me faz tropeçar ligeiramente, mas logo após sinto novamente a luz da esperança resplandecer em mim, confiando mais uma vez e buscando reerguer. Tive que de certa forma compartilhar isso com minhas irmãs e logo em seguida contei ao meu marido por telefone,deixando alguns esclarecimentos para pessoalmente. Não tardou e já estava aqui meu amado, lindo para mim,braços abertos e repletos de saudades me dando uma morfina na minha dor, num abraço apertado o pulsar de nossos corações e em seus olhos verdes a preocupação disfarçada com o ar de que " estou aqui contigo por que der e vier". Fiquei muito confortável com ele aqui comigo hoje, Deus sempre me mandando socorro. Logo mais tarde a presença do anestesista responsável, senti confiança no profissionalismo dele que me afirmou que será imprescindível que tudo seja feito com anestesia local para que eu permaneça consciente durante o feito para melhor possibilidade de sucesso, me garantindo que apenas sentirei as pequenas agulhadas das anestesias e ouvirei o abrir do meu crânio durante pouquíssimos minutos, a cicatriz será mínima e conforme for tudo, inclusive minha recuperação na próxima sexta retornarei para a casa aguardando então o resultado final da análise do tumor que nos dará por fim o tipo de tumor que possuo e qual o método será usado para minha cura.
   Não bastaram por ai as surpresas de hoje, meu esposo me acompanhou até o fim do horário de visitas e em teus braços me rendi por breves instantes, pois sei que amanhã não o poderei abraçar e beijar antes da cirurgia, mas não senti despedida no nosso ato e isso também me conforta e tenho certeza de que o verei assim que me recuperar amanhã mesmo. Outra grande emoção foi ver por webcam meu filho lindo rindo para mim, juntamente com minha cunhada,cunhado,sogra,sobrinho, foi muito bom,embora a carinha de saudades do meu filho não pudesse ser disfarçada eu senti todo o amor que temos quando junto estamos e isso é um combustível essencial para mim, sempre, quanto mais agora. Nesses momentos tão arriscados de vida, principalmente no qual temos consciência dos risco é que devemos nos agarrar com as duas mãos e erguer nossos olhos Àquele que nos entende as Mãos, Deus, preparou meu caminho já sabendo que essa minha luta viria e não tenho como, nem quero me vendar a isto. Meu filho recusou-se a me dizer TCHAU hoje e não pude conter as lágrimas perante isto, mais um sinal de que tudo correrá bem.
   Mais uma vez "sozinha" aqui, tentando relaxar, conversas emotivas com minhas irmãs, mas o sentimento de força, fé, sempre presente. Tentando ser forte busco ao máximo não chorar ,mas a emoção inevitável vem quando mensagens e demonstrações de amor me são feitas. Hoje um grande amigo meu Pedro Rodrigues me homenageou em sua rádio no site Ponto Comum e foi incrível a transformação do meu semblante que já modificado pela intervenção de medicações fortes, noites mal dormidas transpareceu o sorriso e me sinto muito melhor para enfrentar o próximo passo.
    Para completar Deus mandou-me mais uma mensagem através de um amigo,que assim dizia:
"Chore para Deus o choro não cai o choro da alma sobe, sobe, sobe vai. Chorando para Deus você move o céu ,o choro no céu é uma cachoeira no trono de Deus"

    E assim farei agora,meu desabafo para Deus,sem tristeza,apenas súplicas para que meu clamor suba,suba e minha alma esteja leve.
    Obrigada à todos pelo carinho,atenção,acompanhamento,força,orações.Amigos amados,nem vou citar nomes por enquanto para não gerar ciúmes...eheheh
    Aviso logo que os risco de encontrarem SHIT ou Chiclete amanhã é grande!kkkkkkkkk
    Filho meu,falta pouco,logo mamãe vai poder te fazer dormir denovo e brincar contigo mais que antes.PROMETO!Até amanhã!AMÉM!


A CONFIRMAÇÃO DOS FATOS domingo, outubro 25, 2009

   23 de Outubro,o despertar em outra cama de hospital,depois de uma noite de sono escuro, pesado, sem sonhos. Hoje um sentimento gélido congelou-me o sangue nas veias por breves segundos quando a notícia do tumor cerebral residente em mim foi confirmada. Uma profusão de sentimentos cortando o coração como lâmina afiada, mas a todo momento, embora a mente confusa em admitir os fatos, um doce fogo suave aquecia meu coração e as lágrimas escorriam como gotículas que suam de uma pedra de gelo. Meus olhos perdidos sem saberem aonde fitar, percorreram as paredes do quarto sem foco, se misturando com o semblante da médica que cautelosamente me explicava a situação, tentei fitar o chão em tristeza, mas um salto dos meus olhos me fez olhar para cima e então eu pude mais uma vez sentir de onde vinha aquele calor emanado ao meu coração. Deus, me acalmando mais uma vez no seu amor imensurável.
   Seguro o telefone e o silêncio se quebra ao eu ter que falar ao meu marido, mas o tremor na garganta não venceu a calmaria que me veio à voz enquanto a amargura da realidade lhe era confirmada, senti no timbre dele o desespero contido, sem palavras a expressar a dor, medo....normal sentir isso, meus olhos também se encheram de lágrimas, mas tudo o que pude transmitir era o sentimento de positividade, da fé que me move cada vez mais e a esperança que Deus planta em meu coração a cada instante. O consolo do Espírito Santo de Deus afastava qualquer tentativa de pranto e certamente as mãos do meu Anjo da Guarda me confortavam os ombros.
   Minutos de reflexão deitada em meu leito provisório, digerindo aos poucos os fatos, me preparando então para anunciar às minhas irmãs, pais, amigos, sem ensaios para as palavras me pus na companhia da tecnologia e por fim foi-lhes dito. Não queria jamais ver os que amo chorando de tristeza por mim, mas isto me faz ver o quanto eles me amam também e nossas forças juntas só crescem.

   O amor que tenho recebido, carinho, apoio, palavras, orações têm sido primordiais neste momento que ainda nem consigo descrever o quanto.Sozinha não estou e nunca estive, essa certeza também tenho.O restante do dia em companhia de pessoas até então estranhas, o  messenger como veículo me fazendo passar o tempo com mais tempero. Minhas irmãs, ninas tão amadas de plantão comigo, acompanhando cada momento, estamos muitos sintonizadas e isto me faz um bem enorme, as mensagens lindas que tenho recebido de amigos muito especiais, até dos que pouco me conhecem. A saudade de casa é enorme, nunca senti tanta falta da minha cama, do aconchego do corpo do meu marido e filho, se antes eu já tinha uma valorização desses detalhes tão importantes, agora mais ainda. Sem sombra de dúvidas sairei daqui uma outra pessoa, com novas visões, conceitos, experiências. Nunca fui de ter idéias pré-concebidas das coisas, sempre deixei que os fatos e as ocasiões moldassem tais pensamentos porque só a vivência deles ensinam... e se tem algo que já aprendi é a ter paciência, anos atrás estaria maluca neste quarto de hospital, mas tudo o que tenho vivido, erros, acertos, casamento, maternidade, convivência, descobertas, mudanças... enfim, a sede de vida e de vitória só crescem e Deus proverá isso! Que Deus me dê sono e que as trevas passem me dando a chance de viver sempre mais um dia, abrir meus olhos, receber o bom dia tão maravilhoso da boca do meu filho e o doce beijo do meu amado esposo.


O COMEÇO DA TEMPESTADE sábado, outubro 24, 2009

  Nada é demasiadamente concreto,até o momento que as coisas mudam radicalmente,mesmo quando não se espera.
  Há momentos determinantes na vida que nos levam a reflectir e ter uma maior diferenciação dos acontecimentos,dos valores,das pessoas que nos cercam e o que de fato está ligado à nossa vida e ao propósito da nossa existência.
  A todo instante a vida nos lança desafios,escolhas,caminhos e sempre temos que sacrificar algo em prol de algo.Por mais cautela que se tenha o inevitável surge e o que fazer perante uma situação emergente?O que fazer quando um forte vento nos arrasta à beira do precipício sem corda ou pára-quedas?
  Cessando um pouco a filosofia,eis-me aqui na realidade.Um acordar de um dia aparentemente normal,dia 15 de Outubro de 2009,sem podermos prever Deus providencia para que dos males o menor aconteça.Meu filho foi à escola,um beijo gostoso e o semblante dele alegre indo na carrinha.Vesti-me e decidi ir à aula de código,por cuidado de Deus decidi sair antes do horário de lá,sendo assim meu amado me buscou e fizemos o almoço juntos em casa,me sentia absolutamente perfeita fisicamente e minutos antes dele voltar ao trabalho o inesperado aconteceu,em pé não senti minha perna direita e instantaneamente uma sensação de tremor dominou meu corpo,como se eu estivesse em pleno terremoto sozinha e em seguida apaguei,amparada pelos braços do meu esposo fui ao chão em convulsão e aproximadamente 15 minutos de inconsciência o socorro médico chegou,quando voltei à lucidez fui me recuperando rapidamente,mas ainda assustada e confusa.Então fui conduzida até ao Hospital aonde fui analisada e submetida a um exame designado TAC no cérebro aonde foi identificado uma lesão não muito bem definida devido as limitações do próprio exame,mesmo assim fui dirigida à internação para averiguação cautelosa do caso.
   A espera só começou a partir de então e as agulhadas,drogas,extrações de sangue para análises e uma enorme interrogação nos pensamentos,mas o momento mais precioso esperado passou a ser da realização de uma ressonância magnética e que  para minha agonia mental só aconteceu no dia 21 de Outubro,quase uma semana após  minha internação.Não consigo esquecer os vastos minutos dentro daquela máquina branca,cilíndrica,com ar espacial...inerte,olhos abertos,o observar no silêncio do meu coração,não precisei fechar meus olhos para que um filme da minha vida se projetasse em minha retina...momentos,pessoas,faces, tristezas,alegrias e como uma morfina em minha alma,senti uma presença maior ali,Deus com certeza,me amparando com seu Santo Espírito,saí dali anestesiada,apenas tendo em conta a sensação.Depois a espera pelo resultado,Doutor Pedro sempre tentando me tranquilizar,mas no fundo eu já sabia que algo existia além,a compaixão nos olhos dele o denunciava.
   Vasta noite de horas perdidas,olhos vermelhos entorpecidos pelos remédios,um ansiedade cruel pelo tal resultado,uma manhã perdida sem nada concreto informado.Se não bastasse o jejum alimentar pelo segundo dia seguido esse jejum de informações,de soluções.Já se passavam as 16 pm,meu sangue começava a ferver,inquietude,a cama parecia quente demais,não contive,accionei o alarme e solicitei a presença do médico.A notícia da transferência para o Hospital Santo Antônio em Porto foi então a novidade sob o argumento da avaliação do meu caso por uma equipe de neurocirurgia.Contactamos meu esposo por telefone e ele rapidamente providenciou os próximos passos,em menos de uma hora já estávamos a caminho amparados com muito carinho e positivismo pelo mesmo socorrista que outrora me buscara em minha casa quando a doença se manifestou.Vale ressaltar que a ansiedade perante os fatos não é maior do que o reconhecimento de que as coisas estão tomando rumos caminhando para o melhor,todo o amparo que estou tendo,carinho,cuidado,de todas as partes só tem contribuído para meu positivismo evoluir.Aos poucos ideias,concepções de várias coisas referentes à vida vão tomando um molde diferente,ainda é cedo para conclusões,mas minha maior certeza agora é do AMOR e PODER de Deus,o qual sou infinitamente grata,pois mais do que nunca sei que Deus sem nós continua sendo Deus,mas nós sem Deus não somos nada.
   

Nostomania Por Ti sexta-feira, outubro 16, 2009

Nostalgia
Daquilo que cativou-me
Um dia
E arrancou-me risos
Suspiros,gemidos
Gozos e euforia.

Como um vento forte
Emaranhas meus cabelos
Elevas meu corpo
Me fazendo levitar
Me envolves por completo
Trazendo-me todo o afago
Como se o mundo parasse
E eu não pudesse mais chorar.

Sonhos
Desejos
O que tanto minha matéria
Cansada
Fragilizada
Precisava
Mas de repente
Partes
Me soltas
Em queda livre sou lançada
Nua

A tua carícia que me refrescava a alma
Levou minhas vestes
E agora,tão prestes
Me abandonam à míngua
E teu sabor já não sinto
Mesmo que eu te toque com a língua.

(Lígia Breyer)

Quando o Coração fala a Mente Silencia sexta-feira, outubro 16, 2009

A fragilidade da carne,
O poder da mente,
Damos mais valor à saúde
Quando estamos doentes,
Eis que a enfermidade do espírito
Reflete no corpo,
De onde vêm,
Seu por quê,
Tão difícil entender.

Toda onipotência humana se dissolve perante
sua suscetividade à morte
E o estar ou não estar
Fica entregue à sua sorte.
Podemos simplesmente dormir
E não mais acordar
Sair
e não mais voltar,
Cair
e não mais levantar.

E do que vale tudo o que construímos
Tudo o que deixamos de fazer
Ou tudo o que fizemos?
A vida jaz na própria vida
Se não aproveitamos o que temos.

Exemplos e exemplos nos circundam
De pessoa que tudo tiveram e nada levaram
Daqueles que nada tiveram
Mas foram afortunados
Pelo simples fato de saberem viver
E vivem mesmo após a morte.

O medo, temor, receio, que cada um possa ter
Supera-se facilmente pela Fé
A confiança que parte do seu interior
percorre um vasto mar com grandes ondas
Tsunamis que teimam nos afogar
E embora teses, estudos diversos,
Probabilidades convincentes
Tentem nos ludibriar,
A determinada hora,
O escolhido momento
Nos leva, mesmo que à deriva
Para o Porto Seguro
Chamado Deus!

Nosso encontro está marcado
Desde o momento em que nascemos
Porque é irrefutável nossa origem
E embora se renegue
Nossa genética é Divina
Mesmo que o primata se assemelhe
Mesmo que a ciência refute
Mesmo que o big bang relute.

As diversas teorias
Nada mais são que um tentativa
Falha,
Promíscua,
De se esquivar da Verdade que nos origina.
Pra que fugir se é mais fácil se entregar?
Por que correr se é mais fácil caminhar docemente
Na segurança das mãos do Criador?

Olhe e se não tiver mais olhos
Ouça!
Se não tiver mais ouvidos
Toque!
Se não tiver mais mãos
Sinta!
Sinta nas profundezas do teu coração
E confie,mesmo se estiveres no escuro
Porque Deus é Luz
Mesmo que não O possamos ver
E Sabedoria quando já não podemos discernir.
Deus é Amor e um dia Ele há de a ti vir!

                                              Lígia Breyer