Visitantes

Contador de visitas

Seguidores


O Caminho do Amor domingo, janeiro 30, 2011

  Há dias em que pareço indiferente a este sentimento...
  Há dias em que qualquer atitude brusca do ser ao qual o destino o transforma em uma redoma fantasiada de egoísmo,frieza e insensibilidade...Mas na menor demonstração de benevolência,de afago, se rompe como quando o cristal vai de encontro ao chão,revelando todo seu real conteúdo.E eis que o aroma dele,do Amor, volta a exalar...Despertando mais uma vez meu coração e convidando-o a usufruir desse sentimento nobre que transforma tudo o que vemos,colorindo,dando vivacidade no falar,no olhar,no movimentar.
   Acho que pela primeira vez na vida consigo perceber que amar não é viver um período de felicidade intocável,nem viver no comodismo de que nunca terá fim e portanto não é necessário se esforçar para que seja melhor do que aparentemente é...
   Amar requer sacrifícios, renúncias, dinamismo entre as partes, respeito, consideração...e é estar consciente de que a perfeição humana é uma utopia.
Consigo por fim perceber que amo verdadeiramente o homem com quem escolhi compartilhar o resto dos meus dias não ontem, nem anteontem, nem no dia do nosso casamento...mas toda vez em que meu coração teima em se retrair por culpa das adversidades que assolam os relacionamentos e ele tem essa capacidade de transformar tudo e me trazer de volta a mesma sensação de quando estive no carinho e no calor dos braços dele pela primeira vez.
   O amo verdadeiramente porque só ele me faz apaixonar-me várias vezes pelo mesmo homem.
                                                                                                   (Lígia Breyer)